03 julho 2010

relatorio WWI - AKATU

A Declaração do Milênio, da ONU, aprovada
por 189 países em setembro de 2000,
expressa a decisão da comunidade internacional
de reduzir à metade, até 2015, o número
de pessoas que vivem com menos de um
dólar por dia. De acordo com o "World
Development Report", porém, em muitos
países, onde as taxas de crescimento foram
negativas, o avanço econômico permanece
abaixo do nível considerado necessário para se
atingir os Objetivos de Desenvolvimento do
Milênio. Um bilhão e meio de pessoas no
mundo continuam abaixo da linha da pobreza,
sobrevivendo com menos de US$ 1,25
por dia.
O compromisso com investimentos internacionais
destinados à diminuição do fosso e
da desigualdade social entre populações de
elevado consumo, que movimentam mercados
concentrados, e o 1/5 da humanidade
que luta para sobreviver, é um desafio a ser
enfrentado. Tal esforço, porém, resultaria
apenas parcialmente bem sucedido na ausência
de uma equação capaz de frear o consumismo
concentrado e impulsionar o quanto
antes o consumo sustentável – equação esta
que passa, entre outros fatores, por uma profunda
mudança cultural e comportamental.
Tal mudança na cultura do consumo é a
proposta trazida ao debate pelo Estado do
Mundo 2010, relatório anual do WWIWorldwatch
Institute, editado há 28 anos
consecutivos em cerca de 30 idiomas e publicado
em língua portuguesa no Brasil desde
1999 pela UMA-Universidade Livre da Mata
Atlântica, representante do WWI no Brasil.
Neste ano, a edição se faz em parceria com o
Instituto Akatu, organização que se destaca
no trabalho pela transformação do comportamento
do consumidor como fator essencial,
dentro do tripé empresa–governo–sociedade
civil, para o encaminhamento de soluções voltadas
para a sustentabilidade.
Essa transformação, urgente, tem como
pilar uma maior conscientização do consumidor
quanto às consequências de seus atos de
consumo. Nesse passo, é também fundamental
levá-lo a perceber que, em adição a buscar
maximizar os impactos positivos e minimizar
os negativos de seus próprios atos individuais,
cabe a ele mobilizar outros consumidores na
direção de um consumo consciente; apoiar o
esforço das melhores empresas em responsabilidade
sócio ambiental, pressionando-as
diretamente e comprando os seus produtos,
assim como valorizando as novas tecnologias
por elas desenvolvidas; e pressionar os governos
na direção de uma atuação administrativa
própria mais sustentável, do provimento de
serviços que facilitem a ação do consumidor
consciente (por exemplo, a coleta seletiva de
resíduos) e da regulação e legislação referentes
aos atributos dos produtos e à operação
das empresas. Dessa maneira, o consumidor
consciente terá um papel expandido para
muito além de seus gestos individuais.
Integrando de modo concreto os esforços
no sentido dessa mudança cultural tão indispensável
e da co-relata democratização da
informação, o WWI, com o apoio do
Instituto Akatu, disponibiliza para download
gratuito, em língua portuguesa, o presente
relatório anual. Assim, executivos de empresas
e responsáveis governamentais, estudiosos,
jornalistas, pesquisadores, professores e
alunos de instituições públicas ou privadas,
têm à sua disposição análises, pesquisas,
dados, informações e estatísticas confiáveis,
Apresentação da edição brasileira
ESTADO DO MUNDO 2010
WWW.WORLDWATCH.ORG.BR
Apresentação à edição brasileira
XII
abrangentes, muitas vezes inéditos, de extensão
planetária, capazes de municiá-los em seu
empenho não só pelo necessário cumprimento
das metas do milênio como também por
uma mudança imediata, aprofundada a cada
dia, em favor de uma vida mais saudável,
ambiental e socialmente responsável, rumo a
um mundo sustentável que, dessa forma,
poderá passar do sonho à realidade.
Eduardo Athayde
Worldwatch Institute-Brasil
Helio Mattar
Instituto Akatu
...pra baixar:Instituto Akatu

3 comentários:

Wa Mor disse...

O LINK DO SITE:
http://www.akatu.org.br/

ma.du.ca. disse...

Oi gostei muito do blog, visite o meu blog de consumo-design e meio ambiente, obrigado desde já.

veja tambem http://sindromemm.blogspot.com

Wa Mor disse...

Algo + sinistro:

Um estudo de maio de 2009
que utilizou o Modelo de Sistemas
Globais Integrados do Massachusetts
Institute of Technology concluiu
que, a menos que medidas significativas
sejam adotadas em breve,
o aumento médio de temperatura
seria de 5,1ºC até 2100, mais do
que o dobro do que o modelo previra em 2003.
Um estudo de setembro de 2009 reforçou esse
resultado, informando que as atividades usuais
levariam a um aumento de 4,5ºC até 2100, e
que mesmo se todos os países se ativessem às
suas propostas mais ambiciosas para redução de
emissões de gás de efeito estufa, ainda assim as
temperaturas subiriam até 3,5ºC. Em outras
palavras, a política por si só não será suficiente.
Uma mudança expressiva em toda a formulação
das sociedades humanas será essencial.

Se cuidem